21 de setembro de 2013

Crítica da Semana: As Vantagens de Ser Invisível

Crítica da Semana é uma coluna que tem como objetivo mostrar minha opinião sobre os filmes que eu assistir. Meme semanal hospedado pelo Fanfics Memoráveis e postado nas sexta-feiras.


Nome: The Perks of Being a Wallflower
País de Origem: Estados Unidos
Direção: Stephen Chbosky
Roteiro: Stephen Chbosky
Gênero: Drama/Romance
Duração: 103 min. 
Ano de Lançamento: 2012
Elenco: Logan Lerman, Emma Watson, Ezra Miller, Nina Dobrev, Paul Rudd, Mae Whitman, Melanie Lynskey, Kate Walsh, Dylan McDermott, Johnny Simmons, Zane Holtz, Reece Thompson, Nicholas Braun, Erin Wilhelm, Joan Cusack.







A crítica mais difícil que já escrevi. Estou em ressaca cinematográfica após assistir este filme. Brilhante, cativante, humano e real. Um filme para se pensar e questionar.

Stephen Chbosky adapta seu próprio romance e nos brinda com a simplicidade e humanidade dessa história sobre as experiências, descobertas e realizações dos jovens. As Vantagens de Ser Invisível é impecável do começo ao fim, e vai te fazer pensar e questionar sobre muito coisa e por muito tempo.

Ter o próprio autor do livro na produção, roteiro e direção foi uma das melhores escolhas feitas. Quem melhor que o criador da historia para saber o que é necessário entrar na produção. Chbosky mantém a força do material original advindo do livro. Pode-se perceber como ele valoriza cada momento de seus personagens.

Na historia temos Charlie, vivido brilhantemente por Logan Lerman (sério, uma das melhores atuações que eu já vi), um garoto introspectivo, pacato e solitário e muito complexo. Ele está tentando se recuperar da depressão causada pelo recente suicídio do melhor amigo. No decorrer do filme, acompanhamos seus questionamentos sobre a vida, o medo do ensino médio e a sua jornada de socialização. E então ele conhece Patrick e Sam, vividos por Ezra Miller e Emma Watson (muitos amores por essa garota), que o receberem em seu grupo não tão recomendado. E então seguimos Charlie com seus novos amigos que o ajudam em seu crescimento e recuperação

E chegamos ao melhor do filme: o trio principal. Somos premiados com tantas atuações maravilhosas. Logan Lerman mostra que não é ator de um filme só. Ele tira de letra sua interpretação de Charlie, mostrando que tem qualidade de atuação nesse difícil papel, que requer enormes variações emocionais. Com toda certeza foi grande o desafio interpretar um personagem tão denso e complexo, com todas suas divagações.

Todas as aparições de Emma Watson são memoráveis e sua atuação digna de prêmios (o que foi revoltante por não ter sido indicado). Emma soube explorar muito bem todas as complicações de sua personagem e faz com que desprendamos sua imagem da de Hermione facilmente.

Ezra Miller não fica atrás; sua interpretação de Patrick é excepcional e um dos grandes pontos da história, com uma atuação magnética que prende o expectador a tela.

O elenco secundário também merece destaque. As cenas com os outros integrantes do grupo politicamente incorreto de Sam e Patrick dão a leveza necessária em contrapartida à densidade dos protagonistas. Acredito que a personagem de Nina Dobrev não foi explorada como poderia (ainda que saibamos que a atriz dá conta do recado), uma vez que o núcleo ao qual a personagem faz parte é bastante sério; a questão da violência contra a mulher. Nas poucas cenas que aparece, ela não tem grande destaque, 

O roteiro dispensa comentários. Mais humano e mais real que esse roteiro, impossível. E aqui que percebemos como a escolha do próprio autor para a produção foi inteligente. Sagaz e profundo, consegue criar muitas cenas sensíveis, cativantes e emocionantes. Tudo e muito bem captado, até as situações mais rotineiras, com uma estética muito bela. Ponto para a direção que escolhe dar ênfase a momentos que certamente em outra produção passariam despercebidos. Mesmo sem dizer muito, cria fortes momentos narrativos. Também tenho que falar dos diálogos. Criativos, são ele que movem a trama. Perdi a conta de quantas citações incríveis guardei.

Agora um dos pontos altos do filme com certeza e a trilha sonora. O filme faz uso de uma das melhores trilhas sonoras já feitas e que deixam uma grande marca na produção. As canções estabelecem identidade aos personagens e abusa de referências dos anos 80 e 90. Confesso que tive que pesquisar sobre os cantores, e não me arrependi. Temos Pavement, New Order, Sonic Youth, The Smiths e a clássica Heroes de David Bowie, que mostra a importância da trilha sonora para o filme. Ouça aqui e tire suas próprias conclusões (particularmente eu adorei).

As Vantagens de Ser Invisível com sua sensível história de amizade e descobertas cheia de simplicidade e qualidade já é o meu favorito de todos os tempos. Belíssimo e impecável do início ao fim é um daqueles filmes que rende boas reflexões e que certamente fica guardado na memória de quem o assiste e é lembrado durante muito tempo.

De cinco estrelas, dou cinco, ainda que ele merece muito mais que isso. Uma das maiores e melhores descobertas do ano. 

NOTA:«««««

Quotes (por que eu precisava colocá-los):

Por que eu e todos que eu amo escolhemos pessoas que nos tratam como insignificantes?
Nós aceitamos o amor que acreditamos merecer.

Sei que tudo será apenas historia um dia,
Mas neste instante estamos vivos,
E neste momento, nós somos infinitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente. Elogie, Sugira. Critique. Os comentários serão moderados para que possam ser respondidos o quanto antes.