5 de outubro de 2012

Distopias estão na moda

Segundo o dicionário, no sentido filosófico, distopia (ou antiutopia) é:


Oposto de utopia. Pensamento filosófico que caracteriza uma sociedade imaginária controlada pelo estado ou por outros meios extremos de opressão, criando condições de vida insuportáveis aos indivíduos. Tem por base a realidade da sociedade atual idealizada em condições extremas no futuro. Traços característicos da sociedade distópica são: totalitarismo, autoritarismo, privação extrema e controle opressivo da sociedade desespero e caos por parte do povo que tende a ser corruptível (subordinável).”

Não há como negar, após a moda meteórica de vampiros e os constantes livros, filmes e séries lançados que tratam do assunto, agora a moda são os diversos lançamentos distópicos.
Com o sucesso estrondoso da trilogia “Jogos Vorazes”, esse assunto tão impactante volta a ser explorado numa massa de livros lançados a cada dia.
Com isso, o post de hoje vai falar sobre eles. Livros que utilizam as tais distopias como enredo principal. Além dos novos lançamentos, existem também livros mais antigos tão bons quanto os novos.

Trilogia Jogos Vorazes: Jogos Vorazes / Em Chamas / A Esperança

Capas Brasileiras
Escritora: Suzanne Collins
Editora: Rocco

Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?

Trilogia de sucesso aclamada pela crítica. Todos os livros já foram lançados no Brasil pela editora Rocco. Teve os direitos de adaptação comprados pela Lionsgate. Com um filme já lançado, um em pré produção (Em Chamas: estréia prevista: 22 de novembro de 2013) e mais dois em fase de desenvolvimento (A Esperança Parte 1 e Parte 2 com estréias previstas para 21 de novembro de 2014 e 20 de novembro de 2015 respectivamente).

Trilogia Estilhaça-me: Estilhaça-me / Unravel Me / Destroy Me (novela)

Capas Americanas
Capa Brasileira
Escritora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito

Juliette não toca alguém há exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Livro de estréia da autora Tahereh Mafi, previsto para ser uma trilogia. No Brasil foi lançado o primeiro livro “Estilhaça-me”, a continuação (Unravel Me) e a novela (Destroy Me) seguem sem previsão de lançamento no Brasil. Os direitos para adaptação foram comprados pela 20th Century Fox.


Trilogia Delírio: Delirium / Pandemonium / Requiem

Capas Americanas
Capas Americanas Alternativas
Capa Brasileira
Escritora: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca

Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?
Fonte

Da mesma autora de “Antes Que Eu Vá”. No Brasil foi lançado “Delírio” primeiro livro da trilogia. As continuações (Pandemonium e Requiem) seguem sem previsão de estréia no Brasil.

Trilogia Matched: Destino / Travessia / Reached

Capas Brasileiras e da futura sequência
Escritora: Ally Condie
Editora: Suma de Letras

Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander - bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade.Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.

Mais uma trilogia, no Brasil o primeiro e o segundo livros, “Destino” e “Travessia” respectivamente foram lançados. O último livro (Reached) segue sem previsão de lançamento no Brasil.


Trilogia Divergente: Divergente / Insurgent

Capa Brasileira
Capa da sequência
Escritora: Veronica Roth
Editora: Rocco

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Mais uma trilogia distópica. No Brasil o primeiro livro “Divergente” foi lançado, o segundo (Insurgent) segue sem previsão de lançamento.


Série Dustlands: Caminhos de Sangue / Rebel Heart
Capa Brasileira


Capa da sequência
Escritora: Moira Young
Editora: Intrínseca

Saba passou a vida inteira na Lagoa da Prata, uma imensidão de terra desértica assolada por constantes tempestades de areia. O lugar não a incomoda, contanto que o irmão gêmeo, Lugh, esteja por perto. Quando, porém, uma gigantesca tempestade chega trazendo quatro cavaleiros de mantos negros em seu rastro, a vida que Saba conhece chega ao fim: Lugh é raptado e ela tem que embarcar em uma perigosa jornada para resgatá-lo. Repentinamente jogada na realidade selvagem e sem lei do mundo além da Lagoa da Prata, Saba não consegue pensar no que fazer sem Lugh para guiá-la. Por isso, talvez a maior surpresa seja o que descobre sobre si mesma: é uma lutadora incansável, uma sobrevivente feroz e uma oponente perspicaz. Com a ajuda de um audacioso e atraente fugitivo e de uma gangue de garotas revolucionárias, Saba se torna a protagonista de um confronto que vai mudar o destino de sua civilização. Com ritmo arrasador, ação constante e uma história de amor épica, Caminhos de Sangue é uma aventura grandiosa ambientada em um mundo futurista e violento.

Fonte

Estréia de moira Young como escritora. Primeiro volume de uma trilogia, "caminhos de Sangue" foi lançado no Brasil. A sequência (Rebel Heart) segue sem previsão de lançamento no Brasil.
Série Feios: Feios / Perfeitos / Especiais / Extras

Capas Brasileiras


Capas Americanas
Escritor: Scott Westerfeld
Editora: Galera Record

Tally está prestes a completar 16 anos, e ela mal pode esperar. Não por sua carteira de motorista – mas para se tornar bonita. No mundo de Tally, seu aniversário de 16 anos traz uma operação que torna você de uma horripilante pessoa feia para uma maravilhosa pessoa linda e te leva para um paraíso de alta tecnologia onde seu único trabalho é se divertir muito. Em apenas algumas semanas Tally estará lá. Mas a nova amiga de Tally, Shay, não tem certeza se ela quer ser bonita. Ela prefere arriscar sua vida do lado de fora. Quando ela foge, Tally aprende sobre um lado totalmente novo do mundo dos bonitos – que não é tão bonito assim. As autoridades oferecem a Tally sua pior escolha: encontrar sua amiga e a entregar, ou nunca se transformar em uma pessoa bonita. A escolha de Tally faz sua vida mudar pra sempre.


Do renomado autor americano Scott Westerfeld. Todos os livros da série foram lançados no Brasil. Teve os direitos para adaptação comprados pela 20th Century Fox.


Graphic Novel: V de Vingança

Capa Brasileira
Escritores: Alan Moore e David Lloyd
Editora: Vertigo / Panini

Numa Inglaterra dominada por um regime totalitário, uma figura misteriosa chamada simplesmente V, usando vestimentas e uma máscara que evocam a imagem de um infame personagem histórico britânico, desponta no horizonte como a única chance de que haja liberdade novamente. Chegou a hora de alguém levantar a voz e dar um basta à situação vigente... 
A poderosa e aclamada obra concebida pelo genial escritor Alan Moore e o excepcional desenhista David Lloyd finalmente ganha uma edição à altura de sua importância, contendo a história completa, esboços originais, notas e uma detalhada explanação do autor sobre a criação desta maravilhosa HQ. 
Um verdadeiro marco na história da narrativa gráfica, V de Vingança é um hino à resistência e à necessidade de liberdade. Sua importância é tão grande que até hoje é apontada como uma das melhores publicações do gênero, tendo, inclusive, influenciado os irmãos Wachowski (criadores da trilogia Matrix) a produzir um excelente filme baseado na obra.

Fonte

Aclamada grafic novel, escrita por Alan Moore e desenhada por David Lloyd. Publicada pela editora Panini pelo selo Vertigo. Foi adaptado para o cinema no filme V for Vedetta, sob direção de James McTeigue, com elenco encabeçado por Natalie Portman e Hugo Heaving.

Entretanto, as grandes obras distópicas vêm de décadas passadas. Para quem se interessa por este gênero cada vez mais popular, segue uma singela lista elaborada por mim, destacando o que considero as principais obras de distopia, que todos devem ter na estante, ou pelo menos ler (inclusive eu).



1984 (1948)
Escritor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras

"1984" não é apenas mais um livro sobre política, mas uma metáfora do mundo que estamos inexoravelmente construindo. Invasão de privacidade, avanços tecnológicos que propiciam o controle total dos indivíduos, destruição ou manipulação da memória histórica dos povos e guerras para assegurar a paz já fazem parte da realidade. Se essa realidade caminhar para o cenário antevisto em 1984 , o indivíduo não terá qualquer defesa. Aí reside a importância de se ler Orwell, porque seus escritos são capazes de alertar as gerações presentes e futuras do perigo que correm e de mobilizá-las pela humanização do mundo.  





Laranja Mecânica (1962)
Escritor: Anthony Burgess
Editora: Aleph

Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex - soberbamente engendrada pelo autor - empresta uma dimensão quase lírica ao texto. Ao lado de "1984", de George Orwell, e "Admirável Mundo Novo", de Aldous Huxley, "Laranja Mecânica" é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século XX. Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick, é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.



Admirável Mundo Novo (1932)
Escritora: Aldous Huxley
Editora: Globo

Ano 634 d.F. (depois de Ford). O Estado científico totalitário zela por todos. Nascidos de proveta, os seres humanos (pré-condicionados) têm comportamentos (pré-estabelecidos) e ocupam lugares (pré-determinados) na sociedade: os alfa no topo da pirâmide, os ípsilons na base. A droga soma é universalmente distribuída em doses convenientes para os usuários. Família, monogamia, privacidade e pensamento criativo constituem crime. Os conceitos de "pai" e "mãe" são meramente históricos. Relacionamentos emocionais intensos ou prolongados são proibidos e considerados anormais. A promiscuidade é moralmente obrigatória e a higiene, um valor supremo. Não existe paixão nem religião. Mas Bernard Marx tem uma infelicidade doentia: acalentando um desejo não natural por solidão, não vendo mais graça nos prazeres infinitos da promiscuidade compulsória, Bernard quer se libertar. Uma visita a um dos poucos remanescentes da Reserva Selvagem, onde a vida antiga, imperfeita, subsiste, pode ser um caminho para curá-lo. Extraordinariamente profético, "Admirável mundo novo" é um dos livros mais influentes do século 20.
Fahrenheit 451(1953)
Escritora: Ray Bradbury
Editora: Globo

Imagine uma época em que os livro configurem uma ameaça ao sistema, uma sociedade onde eles são absolutamente proibidos. Para exterminá-los, basta chamar os bombeiros - profissionais que outrora se dedicavam à extinção de incêndios, mas que agora são os responsáveis pela manutenção da ordem, queimando publicações e impedindo que o conhecimento se dissemine como praga. Para coroar a alienação em que vive essa nova sociedade, anestesiada por informações triviais, as casas são dotadas de televisores que ocupam paredes inteiras de cômodos, e exibem "famílias" com as quais se podem dialogar, como se estas fossem de fato reais. Este é o cenário em que vive Guy Montag, bombeiro que atravessa séria crise ideológica. Sua esposa passa o dia entretida com seus "parentes televisivos", enquanto ele trabalha arduamente para comprar-lhe a tão sonhada quarta parede de TV. Sua vida vazia é transformada, porém, quando ele conhece a vizinha Clarisse, uma adolescente que reflete sobre o mundo à sua volta e que o instiga a fazer o mesmo. O sumiço misterioso de Clarisse leva Montag a se rebelar contra a política estabelecida, e ele passa a esconder livros em sua própria casa. Denunciado por sua ousadia, é obrigado a mudar de tática e a buscar aliados na luta pela preservação do pensamento e da memória. "Fahrenheit 451" é não só uma crítica à repressão política mas também à superficialidade da era da imagem, sintomática do século XX e que ainda parece não esmorecer. 
A Máquina do Tempo (1895)
Escritora: H. G. Wells
Editora: Objetiva

A Máquina do Tempo: a mais espantosa das invenções, capaz de levar seu criador a uma viagem surpreendente através de milhares de anos de transformações sobre a Terra. Novos seres ocupando a superfície e as entranhas do planeta, vivendo numa incrível civilização do futuro, onde a luta pela vida é implacável. O final dos tempos e a agonia do sistema solar com o colapso de nossa estrela

7 comentários:

  1. Heey!! Hoje em dia, as editoras andam jorrando livros distópicos (com uma breve pausa agora para livros eróticos, er).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, para minha alegria (ou não) distopias realmente estão virando moda.
      ARGH, tomara que essa breve pausa para eróticos seja breve mesmo.
      Bjooos!!!

      Excluir
  2. E eu já li quase todos rsrs
    É uma ideia muito bacana, e todos eles são muito bons - tanto os novos quanto os clássicos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho esse tema sensacional. Não posso dizer com extrema certeza, mas todos parecem ser muitos bons.
      Quase todos lidos? Ai que inveja de você, ainda coloco essa lista na minha estande de "lidos".hahahaha
      Bjoos!!

      Excluir
  3. só os antigos q eu gosto (Laranja Mecanica, 1984, Fahreheit 451) as distopias de hoje em dia são tudo copias e muito infantis (vide Jogos Vorazes q é muuuuito parecido com Battle Royale)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza os antigos são melhores, eles se aprofundavam muito mais no assunto e são beem mais sombrios ( o que e bom).
      Mas eu também gosto das distopias recentes, não todas , mas algumas são boas.
      Adoro Jogos Vorazes e Estilhaça-me

      Excluir
    2. A pessoa nem deve ter lido Hunger Games, para dizer que é copia.

      Excluir