26 de setembro de 2012

Top 5: Piores Adaptações Literárias

Primeiramente gostaria de me desculpar pela demora entre uma postagem e outra. É por que realmente o meu tempo está curto, mas estou tentando consertar isso. Agora vamos à coluna.
Ultimamente estamos vendo uma enxurrada de adaptações literárias para o cinema. Os fãs vibram, criam expectativas, por vezes pulam de alegria, mas tem vezes em que é inevitável a decepção.
Foi-se o tempo em que a notícia de compra de direitos para adaptação era motivo de extrema alegria. O que tenho visto ultimamente chega a ser uma afronta, uma falta de respeito para com a obra, com o autor e principalmente com os fãs. Cada vez mais percebemos que o único interesse dos estúdios e exclusivamente lucrar, “bombar” na bilheteria.
E consequentemente acabam se esquecendo da adaptação em si, e jogam nos cinemas verdadeiros pecados para com a obra. E aqueles fãs que tanto esperaram ansiosos pela estréia acabam se sentindo (eu particularmente) feitos de idiotas, (desculpem os termos, mas e de se revoltar).
Já tinha um tempo que eu estava pensando numa nova coluna, e foi com esse pensamento aqui que resolvi estrelá-la. O Top 5: Piores Adaptações Literárias.

5° lugar: Harry Potter e o Cálice de Fogo


Quarta parte da história do bruxo mais famoso e adorado no mundo. Um livro de tirar o fôlego, e o início do verdadeiro embate entre Harry e Voldemort, apesar de não ser o meu livro preferido da série, percebe-se que o filme poderia ter sido mil vezes melhor. Mas é aquela famosa história, o livro e bom, mas o que envolve o telespectador e dá mais lucro são os efeitos especiais, as sequências de tirar o fôlego. E foi isso que vi em Harry Potter e o Cálice de Fogo. Um show de efeitos especiais, mas em contra partida, os personagens secundários foram diminuídos para não dizer esquecidos. Houve furos gigantescos no roteiro conforme a história foi esquartejada e desmembrada. Eventos importantes foram mudados, e vamos combinar que com uma hora de filme já bastava de Torneio Tribruxo.
Apesar de tudo, sou fã de carteirinha de Harry Potter, imploro para que a Tia Jô escreva mais livros. Sim gostei dos filmes, mas com certeza prefiro os livros, obrigado.






4° lugar: A Bússola de Ouro


Uma obra magnífica, muito bem explorada, com alguns fatos meio contraditórios, mas que passam despercebidos no geral. Estou falando do livro é claro. Por que o filme... bem, digamos que deixou um pouco desejar, não, deixou muito a desejar. Um elenco brilhante comandado por Daniel Craig e Nicole Kidman e um orçamento milionário que mais uma vez foi explorado e gasto nas sequências de efeitos especiais, esses sim merecem grandes elogios, as cenas de Lyra com Iorek Byrnison foram realmente espetaculares, mas não passaram de cenas. A história em si foi totalmente reformulada, o que levou ao filme a fantasiar fatos, fugir do enredo, mudar a personalidade de vários personagens, e principalmente, enrolaram do começo ao fim, com o objetivo de criar suspense e expectativa, mas o que foi aquele fim. Todas as perguntas do filme ficaram em aberto, e vamos combinar, bem que poderiam ter citado Will Parry, já seria ao menos um pretexto para a possível sequência, mas o fizeram? Cortaram, sem explicação alguma.
Não sou tão fã assim de Fronteiras do Universo, mas como li o livro e vi o filme, percebo o quanto havia de material para ser explorado, mas que infelizmente não foi, o que deixou os fãs de Philip Pullman totalmente decepcionados.


3° lugar: Eragon


Uma série sobre dragões, até então pouco explorada no mundo literário tão cheio de vampiros, bruxos e fantasmas. Um livro de desenvolvimento espetacular, muito bem escrito, e fica claro como foi grande o empenho de Christopher Paolini para com a obra. Mas ai vem um estúdio, e adapta para os cinemas. Com um elenco impressionante com nomes como Jeremy Irons, John Malkovich e Sienna Guillory, o filme tinha tudo para fazer um sucesso estrondoso e garantir as continuações, Só que não. Mudança de características importantes de personagens, como Saphira com penas, Arya parecendo tudo, menos uma elfa. E terríveis mudanças sem sentido na história, além da pressa para o desenrolar da história no filme, tão bem explorada no livro, me pareceu que tudo se desenvolveu em questão de minutos, principalmente os dragões.
Não terminei toda a série, mas pretendo o mais rápido possível ainda mais agora com o lançamento de Herança, último livro da série. Mesmo não lendo todos, tomo base pelo primeiro e pego as dores dos fãs apaixonados e digo: Eu esperava mais, muito mais.




2° lugar: Desventuras em Série


Um saga imensa, com uma história gigantesca, mistérios bem planejados e uma adaptação que em comparação com os livros é uma verdadeira piada. Apesar da mesma história dos órfãos ricos abandonados pelos pais, explorados pelo vilão, havia todo um diferencial, o mistério em torno da sigla C.S.C. e mistério este não desenvolvido na produção do filme (novidade). O filme foi uma compilação dos três primeiros livros, o que me faz pensar: eles tinham tanto material nas mãos e fizeram aquilo? Sim fizeram. Mais uma vez, o que vemos aqui é enrolação para ganhar dinheiro. E inexplicável a forma como se desenvolve o filme (se é que podemos chamar aquilo de desenvolvimento). O começo morno, sem grandes explicações, o desenvolvimento morno, quase parando e... fim, quando vemos o filme acaba e você se pergunta o que foi aquilo que acabou de ver. A todo o momento o mistério em que a história e construída é lançado ao expectador, mas sem maiores reviravoltas e deixam o mistério pendurado no ar, até que surge o fim na tela. Sem falar que toda a obscuridade e perversidade do Conde Olaf se transformaram numa interpretação cômica e caricata de Jim Carrey. Decepção total.
Também não tive oportunidade de ler a série inteira (o box ta caro), mas pelo que sei da série, fica claro que “adaptação” não foi o melhor termo usado, o mais correto seria “recriação”, por que aquele filme tem de tudo, menos Desventuras em Série.

1° lugar: Percy Jackson e o Ladrão de Raios


História envolvente, tema sensacional e muito bem explorado, personagens ricos em características e personalidade e desenvolvimento de perder o fôlego, são descrições do livro. Na minha opinião o filme pode ser descrito como: lixo. Ok posso até ter exagerado um pouco, não se pode negar que foi um pecado mortal o que fizeram com a trama espetacular que Rick Riordan criou. Esse foi decepcionante ao extremo. Desde a caracterização dos personagens (cadê os cachos loiros da Annabet?), a falta de personagens importantíssimos sem explicação (o que fizeram com a Thalia?), a mudança no rumo da história (como assim Luke vilão? Cadê Cronos?) e tantos outros mais erros que a revolta não me deixa falar. A minha vontade ao sair do cinema era de morrer de tristeza e depressão. Aqui também observamos que o diretor ao invés “adaptação” ouviu “mudança” completa da história. Com um Luke vilão, um Cronos e uma Thalia sumidos, uma profecia nem ao menos citada e provavelmente prejudicada pela idade dos personagens no filme, fica meio difícil adivinhar o que irão fazer com a sequência, prevista para lançar ano que vem.
Sou mega fã de Percy Jackson, devorei toda a série, vou começar a segunda: "Os Heróis do Olimpo" e aguardo ansioso pelo lançamento de "A Marca de Atena" mês que vem. Fica claro que vai dar um trabalho grande para conseguir consertar o gigantesco erro cometido no primeiro, mas como já disse antes, ainda bate uma esperança com a sequência (ainda mais com as ultimas notícias). Só deixo uma questão no ar: se continuarem a enrolar com a adaptação de cada livro (lembrem-se são cinco) vai ficar difícil fazer os próximos com atores de trinta anos interpretando jovens de quinze, e vai ficar impossível adaptar "Os Heróis do Olimpo", a segunda série de Percy, que eu gostaria muito de ver nos cinemas. 

NOTA: Este post tem por objetivo único mostrar minha opinião sobre o assunto explorado nele, consistindo do meu ponto de vista. Não tendo por objetivo desrespeitar as obras descritas acima, apenas opinar.

21 de setembro de 2012

No aguardo: Adaptações Cinematográficas #2

Antes de tudo queria pedir desculpas pela falta de posts, mas é que meu tempo ta curto, e tenho milhões de afazeres, é essa vida de estudante de federal. Estou tentando organizar meu tempo e assim pretendo dar mais atenção ao blog.
Hoje venho falar de outro Best-Seller que teve o primeiro livro da série adaptado e agora terá o segundo também:

Percy Jackson e o Mar de Monstros


O Mar de Monstros narra as novas aventuras de Percy e seus amigos na busca do Velocino de Ouro, o único artefato mágico capaz de proteger o Acampamento Meio-Sangue da destruição.
É com essa missão que ele e outros campistas partem para uma eletrizante viagem pelo Mar de Monstros, onde deparam com seres fantásticos, perigos e situações inusitadas, que põem à prova seu heroísmo e sua herança. Está em jogo a existência de seu refúgio predileto e, até então, o lugar mais seguro do mundo para eles.
Antes de tudo, porém, nosso herói precisará confrontar um mistério atordoante sobre sua família – algo que o fará questionar se ser filho de Poseidon é uma honra ou uma terrível maldição.

Ok, eu sei que muita gente vai pensar que sou louco. Como assim, após aquela coisa que foi o primeiro “filme” você ainda terá coragem de assistir o segundo? A resposta é sim. Por quê?
Bem, por que aparentemente a produção viu a m**da que fizeram com a adaptação do primeiro e aparentemente vão pelo menos tentar consertar (o que pelo jeito vai dar trabalho).
Vemos isso com as fotos e notícias que saem. Alexandra Daddario está loira para interpretar minha linda Annabeth (o que foi o principal motivo de minha revolta no primeiro filme). E pelo jeito o diretor já encontrou uma forma de explicar a falta de Thalia e seu pinheiro, ele utilizará de flashbacks. Ou seja, ao que parece o filme será mais fiel ao livro.
Tudo bem que eu quero assistir ao filme, mas não vou mentir, apesar de tudo ainda fico com um pé atrás.
Com relação à idade dos atores. E se caso queiram adaptar os cinco livros, será que os atores não vão ficar muito velhos para os personagens, ainda mais se enrolarem com todos os filmes, como estão fazendo com este. O que nos leva a profecia, que diabos vão fazer com a profecia?
E Os Heróis do Olimpo? Será que ainda tem possibilidade de adaptarem aos cinemas a segunda série? Vão continuar com atores com 20 anos interpretando personagens de 15? Ou podem acontecer as temidas substituições?
São perguntas que serão respondidas apenas com o decorrer do tempo, e só nos resta aguardar ansiosamente, e rezar para que dessa vez eles não cometam os erros anteriores.

Com direção de Thor Freudenthal, o filme conta novamente com Logan Lerman, Alexandra Daddario e Brandon T. Jackson como Percy Jackson, Annabeth Chase e Grover Underwood respectivamente. O filme ainda conta com Paloma Kwiatkowski como Thalia Grace, Leven Rambin como Clarisse La Rue e Douglas Smith como Tyson.

A estréia antes prevista para 15 de março de 2013 foi adiada para 16 de agosto de 2013.

Apesar de não ter muitas novidades, saíram algumas fotos dos bastidores. Confiram:









10 de setembro de 2012

Filmes que viraram livros...

Das páginas para a telona... ou seria da telona para as páginas.

Todo mundo com certeza já viu um filme que foi baseado em um livro. As adaptações são inúmeras, e não há como negar, seja por falta de criatividade de roteiros originais, seja pelo enorme sucesso dos Best-Sellers, os livros tomaram de conta de Hollywood.

Seja no cinema ou na televisão, a cada ano diversos stand-alones, trilogias e séries vão parar na tela do cinema ou da TV. Vários dos grandes sucessos do cinema e da televisão sejam de público, crítica ou bilheteria, como: Harry Potter, Senhor dos Anéis, Crepúsculo, Jogos Vorazes, Diários do Vampiro, Game of Thrones, Gossip Girl entre outros, fizeram sucesso de certa forma por serem baseados em livros.

Mesmo virando modinha e uma enorme fonte de lucro para os estúdios, ainda que o mercado de adaptações cinematográficas cresça a cada ano, e que já estão previstas adaptações além da conta para os próximos anos, a moda agora é outra. Livros baseados em filmes.

Isso mesmo, a jogada agora e lançar um livro baseado em determinado filme. A quem diga que seja estratégia de markenting, outros já defendem e usam do argumento de que no livro é possível explorar mais do universo ficcional do livro, uma vez que a maior desculpa usada pelos estúdios para as constantes mudanças e cortes das adaptações literárias seja o curto tempo para o desenrolar da historia, em geral duas horas.

Se é estratégia de marketing ou não eu não sei. Com certeza a defesa usada de que no livro dá para explorar mais é válido. Mas não há como negar, após a enxurrada de obras virando filmes, agora acontece exatamente o contrário; são livros que surgem através dos filmes.

Apesar de ainda não termos um número considerável de obras baseadas em filmes, já existem alguns exemplos que podemos ver. Vão ai alguns exemplos de livros publicados que foram baseados em filmes.

A Garota da Capa Vermelha - Sarah Blakley-Cartwright 


O corpo de uma garota é descoberto em um campo de trigo. Em sua carne mutilada, marcas de garras. O Lobo havia quebrado a paz. Quando Valerie descobre que sua irmã foi assassinada pela lendária criatura, ela acaba mergulhando de forma irreversível em um grande mistério que vem amaldiçoando sua aldeia por gerações. A revelação vem com Father Solomon: o Lobo habita entre eles — o que torna qualquer pessoa do vilarejo suspeita. Estaria Peter, sua paixão secreta desde a infância, envolvido nos ataques? Ou seria Henry, seu noivo, o Lobisomem que assola as redondezas? Ou, talvez, alguém mais próximo? Enquanto todos estão à caça da besta, Valerie recorre à Avó em busca de ajuda; ela dá à neta uma capa vermelha feita à mão e a orienta através da rede de mentiras, intrigas e decepções que vem controlando o vilarejo por muito tempo. Descobrirá Valerie o culpado por trás do lobo antes que toda a aldeia seja exterminada? A Garota da Capa Vermelha é uma nova e arrepiante versão do clássico conto. Nela, o final feliz poderá ser difícil de ser encontrado.
Skoob




Cowboys & Aliens - Joan D. Vinge 


Aliens no deserto? Índios e vaqueiros unidos contra um inimigo comum? Sim. Tudo isso num Velho Oeste livre do estereótipo dos westerns macarrônicos. Cowboys & Aliens inicia com um belo prólogo que compara a invasão alienígena com a tomada das terras dos índios pelos europeus. Entre armas, germes e aço, os pele-vermelhas não têm idéia do que os atingiu. O argumento é simples: no Arizona de 1873, quando um homem só podia contar com seu cavalo e com sua pistola, onde índios travavam uma batalha perdida contra colonos europeus, um inimigo novo estava prestes a entrar na equação. Um invasor que via os humanos como inimigos, e estava decidido a conquistar o nosso mundo. Será que vão conseguir? O romance de Joan D. Vinge é baseado no roteiro de Roberto Orci, Alex Kurtzman, Damon Lindelof, Mark Fergus e Hawk Ostby, e inspirado no graphic novel homônima de Scott Mitchell Rosenberg.
Skoob 







Branca de Neve e o Caçador - Lily Blake, Evan Daugherty , John Lee Hancock, Hossein Amini 


Há dez anos, a vingativa Rainha Ravenna assassinou o rei na mesma noite em que se casara com ele. No entanto, dominar o reino tornou-se um sofrimento para a Rainha. Para salvar seus poderes, ela deve devorar um coração puro, e Branca de Neve é a única pessoa com esse coração. A fim de capturá-la, Ravenna recorre ao Caçador, o único homem que já se aventurou pela Floresta Sombria e sobreviveu. Branca de Neve será morta pelo Caçador? Ou será treinada por ele e se tornará a melhor guerreira que o reino já conheceu?
Skoob














A Última Casa da Rua  Lily Blake, David Loucka, Jonathan Mostow 

No livro, os autores Lily Blake, David Loucka e Jonathan Mostow contam a história da jovem Elissa e sua mãe que, em busca de uma nova vida, encontram a casa dos sonhos em uma pequena cidade do interior dos Estados Unidos. A cidade tem um mistério. Um assassinato aconteceu bem na casa ao lado.Uma garota matou os pais de forma brutal e desapareceu. Hoje, quatro anos depois, apenas Ryan, o misterioso irmão mais velho, mora sozinho naquela mesma casa, sombria e esquecida no tempo. Indo contra tudo e contra todos, Elissa acaba se envolvendo amorosamente com o estranho rapaz. O que ela não sabe é o quão perigoso esse jogo pode se tornar…Não espere ver adolescentes sendo perseguidos por forças sobrenaturais ou um desfecho daqueles que já “sacamos” ainda na metade do livro. A trama é criativa, com muitos “não acredito!” pelo meio do caminho. E a sequência final é de tirar o fôlego, com muita ação. Antes de sentir o medo… Antes de conhecer a dor… É preciso voltar para onde tudo começou.